Mês: junho 2013

Pan-africanismo e negritude

Postado em

Sob o signo de tornar a África visível com objeto de conhecimento, proferiu hoje Elísio Macamo uma intervenção no painel de refelxão “Pan-africanismo no processo de produção de Ciência Social em África.

Defendeu a necessidade de olhar para as raízes do pan-africanismo, anteriores à emergência da ideia negritude com Leopold Shengor nos anos quarente do século passado.

O Tema pan-africanismo é discutido na passagem do século XIX para o XX em três congressos Pan-africanisas (Paris, Londres e São Francisco). Nessa época, onde a construção dos Estados de Homens Livres na Libéria e Costa do Marfim, o Pan-africanismo emerge como uma proposta política.

Desta relevância do Político sairá a linha do Pan-africanismo que influenciará a produção da Ciência Social em África, que terá sempre em linha de conta a ideia de ação política como projeto. Que levará entre outras questões à constituição da OUA, em 1963, em simultâneo com outras ideias de aglutinação regional (como por exemplo o pan-arabismo). Por essa razão, o Pan-africanismo, enquanto projeto, acabará por ficar ancorado na ideia do Estado como ator.

Um segunda dimensão do Pan-africanismo hoje discute-se no domínio da Filosofia.  A discussão da filosofia africana, da maneira específica de pensar e produzir conhecimento a partir de África . Há quem defenda a existência duma filosofia Bantu.  O que é neste domínio relevante é que o debate sobe a africanidade é um raíz constitutiva.

Numa terceira dimensão, também política situam-se as dimensões das expereincias africanas ensaiadas nos anos sessenta. a Ujumma na Tanzânia, o Socialismo africano, as experiências do Kenya e do Gana, a maioria delas falhadas como projetos, mas que assumiram África como entidade política. Essa experiências criaram uma agenda de investigação que marca a emergência das ciências sociais e que acabaram por ser constituitivas dos Estudos Africanos.

Nesse sentido a relação entre o Pan-africanismo e as Ciências Sociais pode ser entendido como um processo histórico.

Anúncios

InKietude – Fotografia de JORGE MARTINS, 5 JULHO » Livraria-Galeria Municipal Verney

Postado em

Junte as suas notas qui… (opcional)

Centro InterculturaCidade

Agradecemos a comparência e/ou melhor divulgação possível desta iniciativa, que conta com o apoio e a participação do Centro InterculturaCidade.
CONVT_WEB_InKietude_13-01-1

Ver o post original

Empires of the monsoon

Postado em Atualizado em

EmpiresMonsoon

Richard Seymour Hall , London : Harper Collins, 1998.