A intersubjetividade

Postado em

Quando a objetividade se fundamenta pela relação do sujeito com um objeto exterior, basta provar esta relação como necessária, para garantir sua validade.

Mas se o objeto é considerado como meramente significado, como o são os objetos patrimoniaiais ou mnemónicos, o único modo absolutamente válido de garantir o seu caráter de existência é esclarecer que o conhecimento dele não é meramente subjetivo
( em única direção ), mas intersubjetivo ( em direção dupla ). Dessa forma fica afastada a ideia de anomalia individual.

Segundo Husserl, é graças a uma espécie de intropatia ( Einfuhlung) que se
constitui a consciência transcendental, e outros eus como sujeitos cognoscentes, identicos a mim mesmo. O objeto intencional constituído de intersubjetividade ( em dupla direção) é para Husserl o fenómeno no seu pleno
grau de evidência..

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s